TABELAS E RESULTADOS

PRINCIPAL

MÁSTER

SÊNIOR

Regulamento

  • A Diretoria do Ribeirão Pires Futebol Clube agradece aos patrocinadores do XXXVII Torneio Pé na Bola 2017:
  • COMPOSIÇÃO DIRETORIA EXECUTIVA 2017

    PRESIDENTE

    Nestor Garcia Paterna

    1º VICE PRESIDENTE

    João Domingues de Oliveira Filho

    2º VICE PRESIDENTE

    Ademir Lopes de Araujo

    1º SECRETÁRIO

    Marisa Mitiko Takahashi

    2º SECRETÁRIO

    Débora Shinoda

    1º TESOUREIRO

    Marco Antonio Polensan

    2º TESOUREIRO

    DIRETOR CULTURAL

    Michelli Aires Pugliesi

    DIRETOR SOCIAL

    Maria de Lourdes Cacilho Maio Coelho

    DIRETOR DE MARKETING

    Marcio Domingos do Nascimento

    DIRETOR DE PATRIMÔNIO

    Jorge Elias da Silva

    DIRETOR ESPORTES

    Edvaldo dos Santos

    REGULAMENTO DO XXXVII TORNEIO PÉ NA BOLA DO – RIBEIRÃO PIRES F.C.  2017

    I – DA ORGANIZAÇÃO E DIREÇÃO

    Artigo 1º – A organização do torneio interno de futebol de campo denominado XXXVII TORNEIO PÉ NA BOLA, estará sob a responsabilidade e dirigida pelo Departamento de Esportes.

    § 1º – A Comissão organizadora e disciplinar, ficará responsável pelo cumprimento da aplicação das regras estabelecidas no Regulamento do Torneio, fazendo-se cumprir as determinações implícitas pelo Departamento de Esportes com objetivo de proporcionar o bom desenvolvimento do torneio, se reunirão sempre que necessário para tratar de assuntos referentes ao Torneio de acordo com o presente regulamento. A comissão será constituída da seguinte forma:

    Comissão Organizadora e Disciplinar: Constituída por membros do Departamento de Esportes;

    Artigo 2º – O campeonato será disputado exclusivamente por associados do clube regularmente inscritos. As equipes serão divididas por categorias e classificados por faixas etárias. Os componentes das equipes serão escolhidos através de uma base previamente definidos pelos representantes e complementados pela indicação da comissão organizadora ou por sorteios. A comissão organizadora se reunirá, em data estabelecida, para a formação das equipes. Sendo vedada sob qualquer hipótese a presença dos jogadores, tão logo a divisão seja realizada os times serão divulgados através do site do clube, rede social e avisos afixados nas dependências internas do Clube.

    § 1º – As categorias referidas no “caput” deste são as seguintes:

    Principal: Nascidos de 1983 a 1999 (18 a 34 anos)

    Máster: Nascidos de 1970 a 1982 (35 a 47 anos)

    Sênior: Nascidos até 1969 (48 anos acima)

    Obs.: Levando-se em consideração as condições técnicas e ou físicas, a Comissão Organizadora analisará os casos dos jogadores que optem por jogar em mais de uma categoria, sempre na categoria imediatamente abaixo a da sua faixa etária, podendo assim, autorizar ou não a sua inclusão.

    § 2º – A inscrição do associado é voluntária e espontânea, o Clube não se responsabilizará por eventuais acidentes de ordem física que possam ocorrer no transcurso do Torneio, assim o associado inscrito obriga-se a cumprir todas as normas e determinações da comissão Organizadora, bem como a tomar conhecimento, obedecer e respeitar o presente regulamento e ENTREGAR O ATESTADO MÉDICO INDIVIDUAL OU ASSINAR O TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE.

    Artigo 3º – As regras estabelecidas para o desenvolvimento do torneio serão as mesmas praticadas pelas entidades oficiais, que regem o futebol, exceto:

    • Não haverá limite de substituição;
    • As exceções previstas neste regulamento.

    II – DA FORMAÇÃO DAS EQUIPES, DIREITOS E OBRIGAÇÕES.

    Artigo 4º – As equipes, divididas por faixas etárias e categorias, serão formadas por jogadores distribuídos através da base constituída pelos representantes das equipes e completadas por indicação da Comissão Organizadora ou sorteios, obedecendo-se sempre os critérios de níveis técnicos, previamente estipulados pelos representantes das equipes, tomando como base às condições físicas / técnicas de cada jogador.

    Nas categorias Principal,Máster e Sênior o limite para composição da base será de 7 jogadores.

    § 1º – Após a formação das equipes poderá ser autorizado a troca de jogadores por equipe, desde que sejam rigorosamente respeitados os níveis técnicos envolvendo os atletas selecionados. Tal procedimento deverá ser submetido a comissão que após analisar aprovará ou não a troca obedecendo-se sempre os critérios de níveis técnicos e consenso entre as partes envolvidas na troca.

    Artigo 5º – Cada equipe será formada por no máximo 21 atletas. Para a realização das partidas serão necessários à participação de no mínimo 7 atletas em cada equipe. A duração de cada partida será de 80 minutos, divididos em dois tempos de 40 minutos cada, com intervalo de 10 minutos entre eles. As equipes deverão entrar para assinar a súmula e definir sua formação pelo menos 15 minutos antes do final do jogo que o antecede.
    § 1º – Toda equipe deverá ter um representante. Caso a equipe não o identifique entre seus jogadores, o patrocinador ou a comissão Organizadora a seu critério deverá indicar um atleta para tal função.

    § 2º – O jogador citado na súmula do jogo por falta de pagamento de sua contribuição social mensalestará automaticamente impedido de participar de qualquer partida do torneio. Para tornar-se apto deverá apresentar ao mesário o recibo de pagamento que comprove sua regularização. Salientamos que as súmulas serão impressas as 20h00 das sextas-feiras, portanto, pagamentos realizados após este horário deverão ser apresentados o comprovante na mesa.

    Obs.: Sob nenhum pretexto, mesário ou qualquer Representante do Clube poderá receber o valor correspondente à taxa de manutenção atrasada, a qual deverá ser paga somente no Caixa localizado na Secretaria Social nos horários normais de funcionamento, a saber:

    • Segunda-Feira das 14h00 as 20h00 horas

    § 3º – A equipe que não estiver com o número mínimo de jogadores presentes em campo no horário previsto para o início da partida será declarada ausente e será decretado o WO, o resultado será considerado como VITÓRIA de 4X0 para o Adversário desde que este satisfaça todas as condições de jogo e DERROTA de 10X0 para a equipe causadora do WO.
    A tolerância para o início da primeira partida do dia, sábado ou domingo, sendo, tal deliberação de exclusiva responsabilidade do Árbitro que estabelecerá a contagem do tempo para a decretação do WO, para uma ou duas Equipes. A tolerância será de 15 minutos, somente para o horário da primeira partida. A Equipe causadora do WO terá 03 pontos subtraídos de sua pontuação, independente do número de pontos que possua até a data do WO, ainda que torne sua pontuação em saldo negativo.

    § 4° – A equipe que abandonar o campo sem motivos legais, causando a paralisação da partida, além de perder a partida em disputa terá subtraído mais seis (06) pontos de sua somatória geral, e saldo de menos 5 gols, independente do número de pontos e gols  que possua até a data do jogo, ainda que torne sua pontuação e saldo de gols em saldo negativo.

    Artigo 6º – Cada jogador inscrito, constante na súmula do jogo, terá o direito de jogar no mínimo 20 (Vinte)minutos por partida, exceto por contusão ou vontade própria, (o jogador que não quiser jogar por qualquer motivo que seja, terá que justificar na súmula no campo das observações sua escolha)direito esse que, se não respeitado, acarretará na perda dos pontos da partida pela equipe infratora desde que o atleta solicite ao mesário que faça constar na súmula do jogo o seu descontentamento por não ter participado do jogo pelo tempo mínimo legal. Para que o jogador possa exigir a sua participação terá que estar presente no campo de jogo desde o início da partida.

    Parágrafo Único: A Comissão Organizadora se reserva o direito de aplicar as penalidades à equipe e aos seus responsáveis, que infringirem o disposto no “caput” deste.

    Artigo 7º – O jogador que não estiver trajando o uniforme completo da sua equipe ou não estiver portando caneleiras, não poderá participar do jogo e o árbitro comunicará o fato ao representante da equipe, que deverá solicitar ao infrator que deixe o campo de jogo. Caso o atleta recuse-se a sair, o árbitro não dará prosseguimento ao jogo, a Equipe perderá 03 pontos e o jogador será punido pelo seu ato de indisciplina. Conforme enquadramento no item V deste regulamento.

    § 1º – Aos goleiros serão permitidos o uso de bermudas e agasalhos apropriados.

    § 2º – A todos os participantes, sem exceções, está extremamente proibido o uso de chuteiras com travas de alumínio.

    Artigo 8º – O jogador que faltar 3 (três) jogos consecutivos, ou seis jogos aleatórios sem a respectiva justificativa poderá ser eliminado do Torneio. Considera-se ausência a falta da assinatura nas respectivas súmulas dos jogos. Uma vez eliminado o infrator sob qualquer hipótese poderá retornar ao campeonato, seja na sua equipe ou em outra de qualquer categoria.

    § 1º – A justificativa para a falta deverá ser feita ao representante da equipe ou ao Departamento de Esportes, por escrito.

    § 2º – Fica reservado ao jogador o direito de solicitar seu desligamento do campeonato, por qualquer motivo, desde que efetuado de forma expressa e endereçado ao Representante da Equipe ou ao Departamento de Esportes.

    § 3º – O atleta que for eliminado do torneio por indisciplina, sendo da base ou não, não poderá ser substituído, salvo na posição do goleiro, neste caso a Comissão Organizadora determinará um substituto.

    § 4º – A reposição de jogadores, se necessário, será realizada ao final do 1º Turno, com exceção do goleiro, que por contusão ou motivos de força maior poderão ser substituídos. No caso do jogador da base, o Departamento de Esportes indicará três nomes para a escolha de um substituto, nunca por suspensão ou eliminação do torneio, os demais terão que aguardar o prazo definido. Na ocasião a Comissão Organizadora apresentará e indicará os nomes disponíveis na lista de espera para o representante da equipe solicitante, que deverá receber um substituto por ordem de posições, do qual ficará com o primeiro nome que contemple a lista na posição solicitada, conforme determina este regulamento.

    § 5º – O prazo limite para substituição de jogadores será até o último jogo da equipe no 2º turno, após esta data nenhum jogador poderá ser substituído com exceção do Goleiro, que se necessário será indicado pela Comissão Organizadora.

    § 6º – Para o associado se habilitar na Lista de Espera aguardando futura vaga em alguma das equipes para jogar, deverá estar com as mensalidades em dia, pois em havendo necessidade de se recorrer à lista de espera para a substituição de um atleta, se o associado inscrito estiver inadimplente, não poderá inscrever-se no torneio, e cederá a vaga para o imediatamente a sua frente na lista.

    § 7º – Caso haja necessidade de substituição do goleiro, o prazo limite será de 3 meses, para retorno do substituído. Posterior a este prazo, o goleiro substituído ficará impedido de retornar a sua equipe. Assim, ou o goleiro substituto permanece na equipe, ou será nomeado outro substituto.

    § 8º – Goleiro Tampão: Será um goleiro pré definido pelo Dep. Esportes que será utilizado mediante as faltas dos goleiros regularmente inscritos no torneio. Assim as equipes devem comunicar o Dep. Esportes até 6ª feira que antecede o jogo até as 18h para adequação da situação. Cabe salientar que a inclusão será feita exclusivamente pelo Dep. Esportes.

    III – DAS PENALIDADES

    Artigo 9º – A todos participantes diretos ou indiretos do XXXVI TORNEIO PÉ NA BOLA, serão aplicadas às regras aqui estabelecidas pelo Departamento de Esportes e Comissão Organizadora. Nos casos consumados em que a Comissão julgar-se incompetente para o julgamento, por ser, no seu entendimento, de maior importância ou gravidade, poderá encaminhar o caso para que a Comissão Disciplinar ou Diretoria Executiva do Clube faça o devido julgamento, enquadrando ou não a ocorrência ao Estatuto Social do RPFC.

    Artigo 10º – Dentre as sanções previstas neste regulamento, a Comissão se utilizará dos seguintes critérios para aplicação automática das penalidades:

    IV – APLICAÇÃO AUTOMÁTICA DE PENALIDADE

    Artigo 11º – As penalidades aplicadas por força de cartões serão automáticas, a saber:

    CARTÃO AMARELO:

    • 3 (três) cartões amarelos: 01 (uma) partida de suspensão na próxima partida da equipe;

    O atleta deve cumprir sua suspensão contra a equipe do próximo jogo pré-agendado na tabela de jogos, ainda que o jogo tenha sido remarcado.

    CARTÃO VERMELHO:

    O atleta deve cumprir sua suspensão contra a equipe do próximo jogo pré-agendado na tabela de jogos, ainda que o jogo tenha sido remarcado.

    Obs.: o cartão vermelho não elimina o cartão amarelo recebido no jogo;

    § 1º – O jogador que carregar 2 cartões amarelos de jogos anteriores e receber no próximo jogo o 3º cartão amarelo e um vermelho em outro momento do jogo, cumprirá automaticamente pena de suspensão por 2 (duas) partidas, sendo 1 (uma) pelo recebimento dos cartões amarelos  e 1 (uma) pelo recebimento do cartão vermelho.

    § 2º – O jogador que durante a partida carregar 1 cartão amarelo de jogos anteriores e receber no próximo jogo, cartão amarelo e um próximo lance receber o 2º cartão amarelo simultaneamente com o vermelho, o atleta cumprirá automaticamente a pena de suspensão de 1 (uma) partida.

    Desta forma, o 3º cartão amarelo aplicado nesta situação torna-se nulo.

    § 3º – O jogador que receber o cartão vermelho, cumprirá a suspensão cabível de 1 (uma) ou mais partidas, porém os cartões amarelos até então recebidos permanecerão válidos.

    § 4º – A possibilidade de aplicação de cartões, pelo árbitro da partida, perdurará desde o seu início até o momento do fechamento da súmula do jogo, as ocorrências posteriores, se houverem, serão relatadas a parte e julgadas pela Comissão Organizadora.

    § 5º – Ao final da partida os representantes de cada equipe deverão retirar junto ao mesário, cópia da súmula do jogo e assim, certificar-se das ocorrências registradas, sendo de sua inteira responsabilidade as informações ali constantes e de serem transmitidas aos demais jogadores. Cabe ressaltar que havendo necessidade de relatório do arbitro, este não será entregue junto com a súmula aos representantes, devido prazo legal de produção deste.

    § 6º – A critério da Comissão Organizadora, motivado pela gravidade do fato, poderá suspender o jogador que tomar cartão vermelho ou completar 3 (três) cartões amarelos, em tantas partidas quantas entenda conveniente em função das ocorrências registradas.

    § 7º – O jogador que, terminada sua participação no torneio, estiver suspenso representado por dias, meses ou jogos, terá que cumprir a penalidade em curso, no decorrer da próxima edição do torneio.

    § 8º – O jogador que, terminada sua participação no torneio, estiver suspenso representado por eliminação estará automaticamente proibido de participar da próxima edição do torneio do ano subsequente.

    Conforme enquadramento no item V deste regulamento.

    V – DA DISCIPLINA E APLICAÇÃO DE PENALIDADES

    Artigo 12º – O zelo pela disciplina e a aplicação de penalidades, exceto as punições automáticas impostas aos jogadores conforme disposições dos artigos anteriores, serão de competência da Comissão Organizadora, ou da Comissão disciplinar do Clube, as quais ficarão investidas da responsabilidade de averiguação e apuração dos fatos e responsabilidades, podendo enquadrar e aplicar penalidades ao infrator em conformidade com os Artigos e Parágrafos seguintes.

    Os atletas ou equipes punidas, e que, por qualquer motivo não concordem com as penas aplicadas, poderão retirar cópia do relatório do arbitro no Departamento de Esportes na Terça-Feira que sucedeu o jogo no intuito de formalizar sua defesa. Dentro desta semana o Departamento de Esporte através de um funcionário fará contato com quem foi relatado e que tenha punição a ser cumprida, no intuito de agendar para quinta ou sexta-feira que sucedeu o jogo para que este possa ser ouvido. Cabe salientar que o relatado deverá além de ser ouvido apresentar defesa por escrito, narrando os fatos sob sua visão, para apreciação da Comissão Disciplinar do Pé na Bola. Após ser ouvido este deverá aguardar novo contato, para ser informado quanto ao resultado final de seu julgamento. Após este procedimento, a pena será considerada válida pela COMISSÃO do torneio.

    Artigo 13º – Todo aquele que praticar ato indisciplinar, além da penalidade imposta automaticamente e já expressa neste Regulamento, poderá, ainda, ser punido com:

    • ADVERTÊNCIA;
    • SUSPENSÃO DO TORNEIO EM QUANTIDADE DE JOGOS;

    Qualquer outro caso que seja considerado grave, e que não seja da competência da Comissão Organizadora julgar, será transferido para a Comissão Disciplinar, que poderá dependendo do seu entendimento enquadrá-lo nas regras estabelecidas no Estatuto Social do Clube.

    § 1º – Quando um atleta for atingido de forma desleal ou por imprudência no decorrer da partida e ficar impossibilitado de praticar/jogar futebol em consequência da falta grave recebida, o infrator será suspenso pelo período em que o atleta atingido necessite para se recuperar e voltar às atividades esportivas, respeitando-se para a punição o prazo máximo de cento e oitenta dias. A informação do retorno do atleta recuperado deverá ser comunicada a Comissão Organizadora, por escrito.

    § 2º – A pena de advertência ao mesmo infrator poderá ser aplicada somente uma vez a cada seis meses, quando prevista no respectivo tipo infracional.

    § 3º – Diz-se a infração:

    I – consumada, quando nela se reúnem todos os elementos de sua definição;

    II – tentada, quando, iniciada a execução, não se consumando por circunstâncias alheias à vontade do agente.

    III – dolosa, quando o agente quis o resultado ou assumiu o risco de produzi-lo;

    IV – culposa, quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência ou imperícia.

    1- Praticar ato desleal ou hostil durante a partida; Suspensão de 1 (uma) partida

    2- O ato de Dar ou transmitir instruções a atletas durante a realização da partida, ficará a critério de uma pessoa indicada pelo seu representante, apenas em local determinada para isto.

    Caso o atleta não obedeça a esta regra, o árbitro poderá interromper a partida, ficando o mesmo sujeito a punição pelo seu ato de indisciplina; Suspensão de 1 (uma) partida.

    3- Desrespeitar direta ou indiretamente companheiro ou adversário; árbitro; seus assistentes; representante; membros das Comissões; associados e espectadores; Suspensão de até 2 (duas) partida.

    4- Ofender moralmente companheiros, adversários, árbitros, assistentes e membros da Comissão Organizadora, seja por gestos, palavrões ou atitudes; No caso de atitude com agravo, a pena poderá será aumentada pelo dobro de jogos aqui sinalizados; Suspensão de até 2  (duas) partidas

    5- Desistir de disputar partida, depois de iniciada, por abandono, simulação de contusão, ou tentar impedir, por qualquer meio, o seu prosseguimento. Suspensão de até 3  (Três) partidas

    6- Praticar jogada violenta como sendo: qualquer ação cujo emprego da força seja incompatível com o padrão razoavelmente esperado para a respectiva modalidade; de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido em companheiros, adversários, árbitros, assistentes e membros da Comissão Organizadora. Suspensão de até 3  (Três) partidas

    7- Praticar ou assumir por gestos, atitude, palavra contra a moral e os bons costumes, colocando em risco a segurança do associado, durante a partida, intervalo ou após uma hora de seu término. Suspensão de até4 (Quatro) partidas                       

    8- Participar ou provocar tumulto generalizado ou conflito, Tentar agredir ou revidar a agressão contra companheiros, adversários, árbitros, assistentes, membros da Comissão Organizadora, associados e espectadores durante a competição ou até uma hora após o seu término.Suspensão de até 6  (Seis) partidas

    § único: No caso de atitude com agravo, o atleta poderá ser eliminado da competição , e o mesmo ser encaminhado para comissão disciplinar do Clube, onde será julgado conforme rege o estatuto vigente do RPFC.

    9- Agredir fisicamente ou Desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeçada, chutes, pontapés ou golpes similares, Cuspir em companheiros, adversários, árbitros, assistentes e membros da Comissão Organizadora; associados e espectadores durante a competição ou até uma hora após o seu término. ELIMINAÇÃO DO TORNEIO ELIMINAÇÃO DO TORNEIO.

    § único: Cabe salientar que o atleta que for eliminado do torneio por “AGRESSÃO", além de eliminado do Torneio, o mesmo será encaminhado para comissão disciplinar do Clube, onde será julgado conforme rege o estatuto vigente do RPFC, podendo ainda ser excluso do quadro associativo.

    § 1º – Para efeito da aplicação das penas previstas neste Artigo, equiparam-se aos que estão disputando a competição, os reservas, técnicos, patrocinadores e os que tenham sido substituídos. A pena de suspensão por números de jogos será cumprida pelo infrator apenas na categoria em que transcorreu o ato indisciplinar.

    § 2º – Para a dosagem da aplicação das penalidades prevista neste artigo, será levado em consideração, além do fato propriamente dito, os antecedentes do infrator em suas participações do Torneio Pé na Bola e também Será levada em conta, ao ser aplicada a punição, as circunstâncias atenuantes e agravantes do fato sob julgamento, especialmente a reincidência, específica ou não.

    § 3º – Se o jogador for ELIMINADO do Torneio Pé na Bola e estiver jogando em 2 ou mais categorias, a suspensão ou eliminação serão aplicáveis  para ambas as categorias em disputa, salvo as aplicações automáticas de penalidades constantes no artigo 11º.

    § 4º – O atleta que não concordar com o julgamento do seu caso, poderá contestar formalmente da decisão perante a

    comissão Organizadora, que novamente levará o caso a apreciação e responderá ao atleta da nova decisão. Se mesmo assim, o atleta discordar da segunda decisão e entender que cabe novo recurso, este deverá encaminhar sua solicitação à Comissão Disciplinar e em última instância ao Conselho Deliberativo, conforme determina o Estatuto Social do Clube.

    VI – DAS OBRIGAÇÕES DOS PARTICIPANTES

    Artigo 14º – É de responsabilidade e competência do mesário:

    1. Tomar conhecimento e fazer cumprir este regulamento;
    2. Tomar conhecimento do Código de Justiça e Disciplinar do RPFC;
    3. Apresentar-se no campo de jogo, 15 (quinze) minutos antes do horário previsto para início da partida;
    4. Apresentar e assinar relatório na súmula da partida sobre tudo o que julgar necessário em relação ao jogo e suas ocorrências;
    5. Atender ao jogador e ou responsável de equipe que solicitar informações sobre a súmula do jogo, orientando-os, se julgar necessário, sobre como proceder para que os mesmos possam encaminhar a Comissão suas críticas, sugestões e/ou reclamações;
    6. Observar se os jogadores estão devidamente uniformizados e calçados, avisando ao árbitro quando da ocorrência de irregularidades;
    7. Verificar se todos os jogadores presentes ao jogo assinaram a súmula;

    h ) Anotar na súmula a presença dos jogadores, gols, cartões, etc.;

    1. Observar o tempo de tolerância para início das partidas;
    1. Informar ao árbitro sobre as condições de jogo de todos os presentes;
    2. Comunicar-se com o árbitro para início e término de cada um dos tempos do jogo.
    3. Em caso de rasuras informar no campo das observações e assinar.
    4.  Em caso de relatório, anotar nas observações “VIDE RELATÓRIO DO ARBITRO”, referente ao atleta/equipe, para fins de direito de defesa destes.
    5. Ser responsável pelas bolas colocadas em jogo

    Artigo 15º – É de responsabilidade e competência do árbitro:

    a) Tomar conhecimento e fazer cumprir este regulamento;

    b) Apresentar-se ao mesário 10 (dez) minutos antes do horário de início da partida;
    c) Quando solicitado, apresentar-se ao mesário para tomar conhecimento de fato ou acontecimentos relacionados à partida, tomando as medidas que julgar conveniente;
    d) Apresentar-se ao mesário após o encerramento da partida para conferir, assinar e anotar na súmula tudo quanto julgar necessário, em virtude das ocorrências do jogo;

    e) Apresentar relatório à parte, à Comissão Organizadora, quando julgar necessário, em virtude das ocorrências do jogo. Esse relatório deverá mencionar todos os incidentes ocorridos antes, durante e após o jogo, bem como os comportamentos imputados aos jogadores, treinadores e patrocinadores, passíveis de sanções disciplinares, administrativas e jurídicas, descrevendo-os de modo eficaz, de forma simples a representar fielmente a ocorrência. A elaboração do relatório é de extrema importância, e assim, este deve ser redigido dentro dos padrões formais da Língua Portuguesa, de fácil entendimento e constando todos os detalhes do ocorrido.

    f) Cumprir a exigência da confecção do relatório no prazo previsto, que deverá ser entregue dentro da pasta das súmulas no dia do fato em envelope lacrado.

    g) Atender comunicação do mesário quanto ao início e término de cada tempo do jogo;

    h) Informar ao mesário, de forma clara, o tempo que pretende acrescer ao jogo;
    i) Aplicar, sempre, as regras atuais do futebol, impondo o mesmo critério em todos os jogos;

    j) Decidir sobre as condições do campo de jogo para início, prosseguimento ou suspensão da partida.

    k) Abster-se de quaisquer atos da sua vida pública ou que nela se possa repercutir que se mostrem incompatíveis com a dignidade indispensável ao exercício das suas funções de árbitro;

    l) Respeitar a dignidade de todos os participantes na competição, não proferindo ofensas a quaisquer outros agentes desportivos;

    m) Será terminantemente proibido aos árbitros fazer uso de bebida alcoólica em qualquer dependência do clube, até uma (1) hora antes e após o final do jogo;

    n) Respeitar horário de início dos jogos previsto na tabela;

    Artigo16º – É de responsabilidade e competência do representante da equipe:

    a) Fazer com que todos os jogadores de sua equipe tomem conhecimento deste regulamento e de suas implicações;

    b) Zelar para que sua equipe cumpra as obrigações previstas;
    c) Orientar seus jogadores para que a disputa em campo se efetue dentro dos limites de urbanidade e cordialidade, evitando, se possível, reclamações para com o árbitro, seus auxiliares e para com o mesário;

    d) Observar para que todos os jogadores participem da partida;

    e) Retirar após o término da partida, na mesa de controle, com o mesário, cópia da súmula do jogo e informar seus atletas sobre as ocorrências do jogo;
    f) Comparecer, quando convocado, às reuniões com a Comissão Organizadora/Disciplinar;

    g) Fazer com que seus jogadores entrem em campo de 10 a 15 minutos antes do término do jogo anterior, para assinar súmulas, aquecer ou receber instruções.

    Parágrafo Único:

    As ausências nas reuniões convocadas pela Comissão Organizadora/Disciplinar, ainda que justificadas, não poderão ser utilizadas, como justificativa pelo não conhecimento de qualquer ato ou medidas definidas na reunião, pois, o conteúdo dos assuntos tratados e definidos  serão objetos de atas relatando os fatos que serão registrados e enviados cópias para que todos Representantes estejam devidamente informados.

    Artigo 17º – É de responsabilidade e competência de cada jogador:
    a) Estar em dia com suas mensalidades;

    b) Tomar conhecimento do presente regulamento e cumpri-lo;

    c) Ter conhecimento do Estatuto Social do RPFC;

    d) Comparecer nos jogos de sua equipe, nos horários determinados devidamente uniformizados;

    e) Respeitar companheiros de equipe, adversários, árbitros, mesários, representantes de equipes, torcedores, membros da Comissão e Diretores do Clube;

    f) Acatar as decisões do árbitro;

    g) Portar-se de forma cordial e respeitosa no jogo e fora dele;

    h) Acatar as decisões do responsável ou representante de sua equipe;
    i) Participar das partidas com material esportivo adequado, isto inclui a caneleira, bem como, o uniforme que recebeu para disputa do Torneio, salvo o goleiro que poderá usar calças ou bermudas adequadas.

    VII – DA FORMA DE DISPUTA PARA AS TRÊS CATEGORIAS

    Artigo 18º
    O campeonato será disputado por três categorias:
    Principal– 08 equipes;
    Máster – 08 equipes e
    Sênior – 08 equipes.

    Primeira Fase:

    As equipes jogarão entre si (turno e returno), pontos corridos, definindo a classificação, onde as 6 equipes melhores classificadas avançam para a 2ª Fase.

    OBS: Dependendo da ordem da classificação a comissão organizadora poderá mudar a ordem dos jogos das últimas rodadas, para não favorecer ninguém.

    Segunda Fase:

    As 6 equipes classificadas serão divididas em 2 grupos de 3 equipes cada, sendo que as equipes que classificarem em 1º e 2º lugar na 1º fase, irão com um ponto de bonificação para esta fase.

    – Categorias Principal

    Grupo A – 1º, 4º e 6º colocados no geral.

    Grupo B – 2º, 3º e 5º colocados no geral.

    – Categorias Sênior

    Grupo Ouro – 1º, 4º e 6º colocados no geral.

    Grupo Prata – 2º, 3º e 5º colocados no geral.

    – Categorias Máster

    Grupo Branco – 1º, 4º e 6º colocados no geral.

    Grupo Preto – 2º, 3º e 5º colocados no geral.

    As equipes jogarão dentro do seu grupo, classificando-se para as semifinais as duas primeiras equipes de cada grupo que somarem mais pontos nesta fase.

    Semi-final:
    Será realizada em uma só partida. Caso ao término haja empate, haverá uma prorrogação de 10×10 para todas as categorias; persistindo  o  empate na  prorrogação haverá  a  cobrança de cinco pênaltis que serão cobrados de forma alternada.

    – Categoria Principal

    1º Grupo A X 2º Grupo B

    1º Grupo B X 2º Grupo A

    – Categoria Máster

    1º Grupo Branco X 2º Grupo Preto

    1º Grupo Preto X 2º Grupo Branco

    – Categoria Sênior

    1º Grupo Ouro x 2º Grupo Prata

    1º Grupo Prata X 2º Grupo Ouro

    Final

    Será realizada somente uma partida, caso ao término do tempo regulamentar haja empate, a decisão será na cobrança de cinco pênaltis que serão cobrados de forma alternada. Persistindo o empate, haverá uma segunda série de um pênalti para cada equipe, também cobrados de forma alternados, sendo que quem cobrou na primeira série não poderá participar desta série. A equipe que obter a primeira vantagem será a vencedora.

    CRITÉRIOS PARA DESEMPATE

    1ª Fase (1º e 2º turno)

    1º – maior número de vitórias

    2º – maior saldo de gols

    3º – maior número de gols marcados

    4º – confronto direto (somente se o empate por entre 2 equipes)

    5º – Gol average

    6º – menor número de cartões vermelhos recebidos

    7º – menor número de cartões amarelos recebidos

    8º – sorteio

    CRITÉRIOS PARA DESEMPATE  – 2ª Fase

    1º – maior número de vitórias

    2º – maior saldo de gols

    3º – maior número de gols marcados

    4º – confronto direto (somente se o empate por entre 2 equipes)

    5º – Melhor classificação na 1º fase

    VIII – DOS CASOS EXCEPCIONAIS E OUTROS

    Artigo 19º – Quando a paralisação do jogo se der por agressão ao árbitro ou auxiliares e os mesmos não tiverem condições de prosseguir a partida, a equipe causadora perderá os pontos do jogo, independente do resultado ou de quanto tempo jogo tenha decorrido.

    Artigo 20º – Quando a paralisação do jogo se der por falta de condições do campo, falta de energia elétrica ou por decisão do árbitro, e se tal paralisação perdurar por mais de 15 (quinze) minutos e persistindo a impossibilidade de reinicio do jogo, adotar-se-ão os critérios seguintes:

    A) Se a paralisação ocorrer depois de decorrido 75% (setenta e cinco por cento) do tempo de jogo será considerado encerrado, prevalecendo como resultado final o do instante da paralisação, desde que esta não tenha sido provocada pela equipe em vantagem no placar, valendo o tempo marcado na súmula de jogo;

    Aa) Se a paralisação for provocada pela equipe em vantagem no placar, será declarada vencedora a equipe adversária;

    Ab) Se a paralisação for provocada por ambas às equipes, ambas perderão os pontos da partida, sem prejuízo de aplicação das penalidades inerentes ao acontecido.
    Ac) Se a paralisação ocorrer antes de 75% (setenta e cinco por cento) do tempo de jogo, deverá ser disputado o restante do jogo em outra data, mantido todas as anotações e ocorrências da súmula, quando da paralisação;
    Ad) A critério da Comissão Organizadora, e com a anuência de ambas as equipes, a partida suspensa em conformidade ao item “Ac”, que estiver empatada, deverá ser disputada em seu tempo integral, devendo, porém, ser mantida a súmula com as anotações quando da suspensão da partida.

    Artigo 21º – A equipe que se negar a jogar ou abandonar o campo durante o transcurso do jogo perderá os pontos da partida em favor da equipe adversária, sem prejuízo das demais sanções que lhes poderão ser impostas pela Comissão.

    Parágrafo Único:

    No caso de abandono de campo durante o jogo ou recusa em seu prosseguimento, por parte de qualquer uma das equipes, o árbitro aguardará 10 (dez) minutos para o seu reinicio, persistindo a paralisação, encerrará a partida anotando em súmula a causa do seu encerramento.

    IX – DOS CASOS OMISSOS

    Artigo 22º – Os casos omissos e excepcionais não previstos neste regulamento serão analisados e decididos através de voto pelas Comissões Organizadora e Disciplinar, o qual se reunirá em caráter extraordinário quando necessário, imediatamente após a ocorrência do caso concreto omisso ou não previsto.

    Artigo 23º – Conforme foi estabelecido em contrato, as equipes participantes, deverão estar  rigorosamente em dia com seus pagamentos de patrocínios, até o final da primeira fase do campeonato.

    Caso o mesmo não tenha sido providenciado, apreciamos sua pronta atenção.

    O Não cumprimento ou Falta de pagamento será considerado W.O administrativo, impossibilitando a equipe devedora a participar da 2ª(segunda) fase do torneio, ficando automaticamente desclassificada do torneio.

    Parágrafo Único:

    No caso de desclassificação de alguma das equipes participantes por falta de pagamento do Patrocínio, estará automaticamente classificada para a outra fase, a 7ª (Sétima) melhor equipe classificada na 1ª fase.

    Artigo 24º – O presente Regulamento foi lido, discutido e aprovado, pela Diretoria de Esportes, Diretoria Executiva e Comissão Disciplinar do XXXVII Torneio Pé Na Bola.

    Artigo 25º – As equipes participantes desta competição reconhecem como instância definitiva a Comissão Organizadora e Comissão Disciplinar do RPFC para resolver as questões entre si, ou entre elas.

    Artigo 26º – As equipes participantes desta competição reconhecem como instância definitiva a Comissão Organizadora e Comissão Disciplinar do RPFC para resolver as questões entre si, ou entre elas.

    X – ESTATUTO SOCIAL DO R.P.F.C.

    – DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS.

    Disponível no site: www.rpfc.com.br

    COMUNICADO AOS REPRESENTANTES E AOS DEMAIS PARTICIPANTES DO XXXVII TORNEIO PÉ NA BOLA

    – Durante as partidas do Torneio Pé na Bola, não serão permitidas a presença de crianças, bem como atletas suspensos, atletas da equipe não uniformizados, ou pessoas que não fazem parte do jogo em disputa nas proximidades do campo.

    – Os jogadores que estiverem na reserva deverão ficar sentados no banco e não na pista batendo bola, caso um dos jogadores reservas na falta de um técnico deseje dirigir a equipe, este atleta deverá colocar um colete para ficar na área técnica.

    – Para que não haja atraso no início dos jogos, prejudicando os horários dos jogos posteriores, o ideal seria que aos 10 minutos antes do final de cada jogo as equipes entrem e assinem a súmula, bem como, conversar e decidir quem irá começar jogando.

    – O atleta sem caneleira não poderá participar das partidas, os árbitros notando a falta de caneleira irá advertir com cartão amarelo e fazer o jogador sair de campo, para providenciar o uso da mesma.

    – O jogador que estiver com a mensalidade em atraso em hipótese alguma poderá participar da partida, em caso de pagamento no dia do jogo, o mesmo deverá apresentar o recibo. No regulamento que foi entregue aos jogadores e nos quadros de aviso do Clube estão fixados os horários de funcionamento da secretaria.
    – O jogador que foi expulso durante o jogo, não poderá ficar no banco de reservas e nos arredores do campo.

    – Cada representante é responsável por sua equipe, portanto cabe ao mesmo orientar seus jogadores quanto à conduta  dentro de campo e fora no que se refere ao Torneio Pé na Bola.

    – Os jogadores não devem esquecer de assinar a súmula de jogo, e o representante ao receber a sua cópia, verificar se há algo anotado errado ou que não foi anotado referente ao seu jogo.

    – Não serão aceitos atos de indisciplina dos participantes do campeonato, lembrando que estamos dentro de um Clube associativo, participando de um Torneio entre associados, onde o respeito e o companheirismo devem imperar. A comissão irá cumprir o regulamento, portanto, cada representante tem o dever de comunicar e advertir seus jogadores, que não estão se enquadrando nos objetivos.

    O não cumprimento deste regulamento poderá acarretar em punição conforme regulamento do torneio e estatuto que rege o  clube.

    Caro Associado:

    Alguns dos benefícios da prática de exercícios incluem: o reforço da musculatura e do sistema cardiovascular; o aperfeiçoamento das habilidades atléticas; a perda de peso e/ou a manutenção de alguma parte do corpo. Para muitos médicos e especialistas, exercícios físicos realizados de forma regular ou frequente estimulam o sistema imunológico, ajudam a prevenir doenças moderam o colesterol, ajudam a prevenir a obesidade, entre outros.  Além disso, melhoram a saúde mental e ajudam a prevenir a depressão. Todo exercício físico deve ser sempre realizado sob a orientação de um profissional ou centro esportivo qualificado, pois a prática de esportes somente nos permite atingir os objetivos esperados quando é devidamente orientada.

    Não seja atleta de final de semana, crie o hábito da atividade física.

    Não podemos esquecer-nos da importância da avaliação médica para a prática esportiva.

    “Para não serem surpreendidos durante o Torneio Pé na Bola, o Departamento de Esportes do Ribeirão Pires Futebol Clube (R.P.F.C), orienta a todos participantes, que se faz necessário uma prévia avaliação médica, para uma indicação adequada de atividade para o seu perfil, antes do início do torneio”

    Atividade física, traz inúmeros benefícios a Saúde, mas, sem orientação médica, equipamento e preparo adequado, pode causar doenças.

    Departamento de Esportes